Desencontro.

A tua lembrança me dói tanto

Que eu canto pra ver se espanto esse mal

Mas só sei dizer um verso banal

Canta você, fala em você, é sempre igual

Sobrou desse nosso desencontro

Um conto de amor, sem ponto final

Retrato sem cot, jogado aos meus pés

E saudades fúteis, saudades frágeis, meros papéis

Não sei se você ainda é a mesma

Ou se cortou o cabelo, rasgou o que é meu

Se ainda tem saudade, e sofre como eu…

Ou tudo já passou, já tem um novo amor, já me esqueceu.

Anúncios

Satisfatório! Muito obrigada.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s