Migração da Alma – Andre L. Aquino.


Sabemos pouco, muito pouco sobre os mistérios da vida.
Mas esse pouco já me permite escrever algo sobre ela
neste instante.
Percebo que vejo a vida através de espelhos
e não “face a face”.
Espelhos porque quase tudo onde vivemos é fabricado,
é uma invenção.
De original mesmo talvez apenas os erros que cometemos.
O resto é tudo reflexo,
cópias que entram pelos nossos olhos.
É certo que às vezes tenho vislumbres
do que a vida realmente é.
E isso é que toca a minha sensibilidade profundamente.
São pequenas alegrias
que chegam bem antes de qualquer grande felicidade.
Hoje essa pequena alegria foi caminhar pela praia
tocando os pés no mar.
Foram horas e horas de caminhada
e quantos pensamentos bons me invadiram!
Recebo um chamado e vou.
Não me importando com o caminho, apenas vou.
E nunca chego a lugar nenhum
porque na verdade o caminho já era o meu próprio destino.
Chamo isso de migração da alma.
Percebo que o pouco,
muito pouco que sei sobre os mistérios da vida
é graças a essa minha inquietude.
Hoje falei tão pouco,
mas tudo que disse está na pronúncia do meu olhar.

Nós os Sensíveis – Andre L. Aquino.


Temos a luz brilhando dentro de nós. A nossa sabedoria muitas vezes pode ser confundida com a loucura por pessoas de mentira. Por aquelas pessoas que vivem presas a um mundo automático.
Nós, os sentimentais,
Os alquimistas, os arrependidos pelos erros, os filhos amados que foram deixados pra trás num deserto, os que têm fé inabalável, os sonhadores, os loucos de amor. Muitas vezes já fomos considerados as ovelhas negras da família, mas os nossos sentimentos – profundos como o mar – nos transformaram aos poucos em cordeiros mansos que pastam felizes pelos campos.
Dentro de nós ardem paixões capazes de derreter qualquer geleira. Nós já morremos incontáveis vezes e já renascemos outras tantas, mais fortes, mais determinados em encontrar a nossa felicidade.
Nós, os sensíveis…
Somos invencíveis pelas lágrimas e imbatíveis pelo sorriso. Muitos de nós carregamos na alma e no corpo marcas da nossa paixão pela vida. Do mais fraco ao mais forte, do mais bonito ao mais feio, não somos medidos pela nossa formosura ou pelo nosso corpo. Somos admirados pelo poder do nosso coração, pela força que emanamos de dentro de nosso olhar.
E as pessoas de mentira ficam sem entender como nós, os sensíveis, conseguimos ter tanto poder.
Estamos aqui para fazer a diferença. Ninguém nos conhece pela superfície mas pela profundidade de nossos bons pensamentos. Não somos santos, mas somos anjos. Não somos perfeitos, mas é na nossa imperfeição que mostramos nossas maiores virtudes.
Não é pela casca que queremos ser conhecidos. Queremos um relacionamento íntimo com tudo e com todos que nos cercam. Podemos errar, fracassar em quase tudo, mas jamais fracassaremos como seres humanos.
Somos árvores que darão boas sementes.
Nós temos o dom de sentir o que os outros sentem, de traduzir seus pensamentos. Nosso coração capta o que outros corações transmitem.
Somos dono da sabedoria universal. Acreditamos no Deus comum a todos seres humanos. No Deus que habita todas as religiões.
Num abraço do sensível está a graça do Universo.
Nós, os sensíveis, somos os mensageiros da eternidade.