A vida é uma vitrine!

A Vida é uma vitrine de tecidos.
A gente, por instantes,
fica de olhos perdidos
na beleza das telas deslumbrantes.
Depois, entra na loja e vai comprar.
Caixeirinha gentil, a Ilusão
vem vender ao balcão
e não se cansa de mostrar,
não se cansa
de exibir delicados,
rendilhados,
leves panos de Sonho e de Esperança.
As mãos tocam de leve
na leveza das telas.
Não vá o gesto, por mais breve,
esgarçar uma delas!
Todas tão lindas! Mas a que fascina
não está ali na grande confusão
das peças espalhadas no balcão.
E a gente diz,
num ar feliz:
“Levo daquela rósea, muito fina,
exposta na vitrine.”
Logo o Destino vem (da loja é o dono)
e fala sobranceiro, com entono:
“É artigo raro.
Marca, padrão e cor: – Felicidade.
É um artigo de alta qualidade
o mais caro
de todos os tecidos.
São cortes especiais…e estão vendidos!”
E a gente vai comprar do áspero pano
que se encontra na seção do Desengano.

Graciette Salmon.
(poetisa paranaense)