Quando o Poeta Escreve!

Quando o poeta escreve,
a poesia pode ser
forte como o vento,
falando sobre um lamento…
Da brisa, tem a suavidade,
quando fala em felicidade…
Tem a violência da tempestade,
quando de um protesto vê necessidade…
Como o vento, soprando ao ouvido
fazendo ao seu amor um pedido,
um apelo sussurrado
de um coração apaixonado…
Do nada o poeta pega a inspiração,
dizendo o que lhe vai no coração…
Com rimas e versos lhe fala do encanto,
de quem te ama tanto…
O poeta é um eterno enamorado,
tanto em um dia ensolarado,
como em noites de luar,
sempre poeta quando está a amar…
No céu na terra ou no mar…
Sempre um poema a cantar,
os versos que o vento deve espalhar…
Com o poeta, o amor há de sempre viver,
pois a poesia não deixará jamais o amor morrer…

AMORZADE!?!

Deveria estar no dicionário:
AMORZADE – Doce mistura de amor com amizade…
E mais do que amigos, seriam amorzigos…

Sempre amigos,
mais que namorados…
Uma ligação sincera…
Meio amor… meio amizade…
É a amorzade…
Sem cobranças…
Algumas lembranças….
Sigamos então
lado a lado…
sem rumo,
sem destino…
Apenas seguindo…
Mãos dadas,
olhos nos olhos,
como só
os que se gostam,
fazem…
Não nos amamos….
Mas nos gostamos…
Por que ficar distantes?
Dê-me sua mão…
Pegue na minha…
Amigos para sempre…
E vamos sair por aí…

O Que Pode Ser o Carinho?

 
Podemos afirmar que na realidade,
é muito fácil fazer carinhos,
mas para que eles realmente sejam sentidos,
é necessário que exista um real sentimento de afeição,
de amizade, de sinceridade,
e isso chega a ser mais importante
para o bem viver de uma parceria,
do que o amor propriamente dito.
É preciso convir que carinho e consideração,
não devem ser apenas duas palavras,
pois são sentimentos que devem
caminhar paralelamente ao amor e à amizade.
Se o amor traz o calor,a emoção, conseguindo acelerar o coração,
a amizade, traz a serenidade na busca da felicidade,
e é o que realmente dá sentido à vida.
Assim, o ponto ideal será unir amizade e amor,
para que o amor seja vivido em plenitude com muito carinho.

São Apenas Pensamentos.

Por vezes somos traídos
por nossos pensamentos…
Existem pensamentos,
que são como lamentos…
trazem saudade…
lembranças de momentos,
vividos ou não…
Onde vão os pensamentos?
Naquela pessoa querida,
agora ausente?
ou naquela outra…
que nunca esteve presente…
Os pensamentos divagam,
judiam dos sentimentos…
eles não falam…
ficam em nossos lamentos…
Pensamentos de tristeza…
buscando da vida, a beleza…
Pensamentos não se comandam…
eles chegam e se acomodam…
nossa vida dominam…
Malvados pensamentos…
Doces sentimentos…

Mulheres Querem a Felicidade!

Hoje as mulheres podem ir busca de sua felicidade, mas até algum tempo atrás, elas sofriam uma castração violenta. Não tinham direito de escolher seu caminho. Estavam como que submetidas ao jugo masculino. Deviam uma cega obediência, quando jovens, a seus pais, quando casadas, a seus maridos. Não eram donas de escolher seus destinos. Os seus “donos” escolhiam por elas. Pouquíssimas profissões estavam abertas às mulheres. Professoras, enfermeiras, donas de casa, eventualmente operárias. Nada além disso. Foram séculos de submissão total e completa.
Mulheres que tentavam alguma coisa, eram discriminadas, perseguidas, e até queimadas vivas.
Com a evolução do tempo, as coisas foram mudando lentamente. Irritadas com a lentidão dessa evolução, foram à luta e conseguiram alguma melhoria. E foram galgando certas posições eminentemente tidas como masculinas, num notável progresso, se formos considerar o que ocorria até a metade do século passado. Até o fim dos anos 60, meados dos anos 70, quando a chamada “Revolução Feminina” conseguiu grandes vitórias.
Atualmente pode-se notar que as mulheres estão acordando, e já saíram completamente da letargia, e foram à luta, e conseguiram chegar bem perto da famosa igualdade de direitos e deveres, tão reivindicada nos anos 60 e 70.
Vamos destacar alguns aspectos do que vem a ser essa busca da felicidade.
Hoje, as mulheres descobriram que já podem se expressar, que já tem, direito a opinar sobre tudo, que já pode querer decidir sobre seu Destino.
Sem dúvida alguma, as mulheres estão participando muito ativamente em todos os campos de atividade, sendo excelentes profissionais liberais, executivas, políticas, enfim em todos os segmentos nota-se a presença feminina cada vez mais atuante. Sempre com inteira liberdade para escolher seu campo de ação.
Contudo, muitas mulheres ainda se dizem insatisfeitas nos seus relacionamentos, pois ficam presas a um casamento, dizendo depender do marido para se manter.
Essa era a situação geral das mulheres antigamente. Hoje, contudo, só pode atribuir-se a um acomodamento de situação. O não querer ir à luta, por ser conveniente permanecer sob o jugo do marido castrador. É preciso “sacudir a poeira”, vencer os preconceitos, e acabar com essa situação. Penso que o ideal é procurar-se um diálogo para definir posições, para fazer valer sua opinião. Claro está que para haver um diálogo o marido tem que participar e é importante que isso ocorra, para o bem do relacionamento, e nem sempre o lado masculino está de acordo com esse diálogo, pois iria perder muitas de suas prerrogativas.
Analisando bem a situação, é fácil inferir que as mulheres só tiveram ganhos com a emancipação, não devendo jamais se arrepender das coisas que fizeram com esse objetivo, arrepender-se, só do que ainda não foi feito. Na realidade, o homem também agradece à mulher que trabalha fora e o ajuda. É um ganho também para o masculino, ajudando decisivamente para o sustento da casa.
Sem dúvida que as mulheres tiveram ganhos com essas mudanças conseguida, bastando citar a descoberta de suas reais possibilidades, de sua real capacidade. Basta observar que as mulheres descobriram que podem viver sozinhas, que conseguem se manter sem precisar estar subjugada a situações que seu interior não aceitava. E o homem inteligente tem mesmo que agradecer essa nova situação, não apenas pela ajuda que o trabalho feminino representa para o orçamento, mas também por ter descoberto que é muito melhor ter uma companheira andando a seu lado, do que aquela antiga escrava doméstica correndo atrás e abanando o rabinho…
Antes a mulher sequer se olhava, e a emancipação só é verdadeira, se vier de dentro para fora. Se a mulher, ao se olhar no espelho, ver que prefere se arrastar penosamente pela vida, por não querer arregaçar as mangas e viver a vida por ela, nada valeu a pena. Nada pode ser por obrigação. Ela tem que se conscientizar de que realmente quer definir sua situação perante o mundo.
Claro. A pessoa, seja mulher ou homem, tem que se olhar no espelho, e gostar daquilo que vê.
Tem que saber enxergar a luz interior brilhando, e indicando o caminho. Caso contrário, é melhor voltar para a cama e esperar a morte chegar. É importante encarar tudo com disposição e vontade. Tem que vir de dentro para fora.
Essa mulher moderna tem que saber se valorizar, e tem que dar o devido valor às suas conquistas, não podendo se acomodar a situações.
Claro é que essa nova mulher apesar da desejo de reverter a situação, do que mais vem sentindo falta, é do famoso “amante à moda antiga”, que abre as portas, dá precedência, cede lugar e, principalmente, que ainda manda, ou melhor, que leva em mãos flores para sua amada. E que romanticamente lhe beija a mão.
Em suma, apesar de tudo, o romantismo ainda é o grande sonho de todas mulheres.
Amigos… vamos atende-las? Com uma rosa nas mãos, vamos desejar UM LINDO DIA.

“Numa relação as pessoas tem que entrar por inteiro, se não, você coloca o outro como seu complemento. E se ele sai, você fica pela metade? Ninguém é de ninguém nesse sentido”. L’Inconnue

Para encontrar a felicidade.

A felicidade, com certeza, é o artigo mais procurado neste mundo, mas parece ser muito complicado encontrá-la. Possivelmente, pode ser devido a maneira errada com que a maioria das pessoas a procura. Dizem mesmo, que a felicidade total não existe, é impossível. O que realmente existe são momentos felizes que recebemos da vida.

Teoricamente, contudo, pode ser muito fácil travar conhecimento com essa utópica personagem.

Basta compreender que o mundo não é para ser disputado palmo a palmo, como se fosse algo destinado a propriedade exclusiva, mas sim compartilhado, porque nele existe lugar para todos que queiram viver em igualdade.

Deixando de lado a vaidade desmedida que nos leva ao desejo de ser “o centro das atenções”, entenderemos que a humildade é privilégio dos grandes, e apenas os medíocres não sabem disso. Justamente por não disporem de um real discernimento, procuram passar uma imagem de superioridade, quando na realidade quem efetivamente tem méritos, os vê reconhecidos, sem aquela necessidade de “aparecer”, que é apanágio dos vaidosos e vazios.

Sempre deveremos aprender a respeitar as pessoas, as plantas e os bichos como obras da mesma Natureza que nos fez, para assim crescermos espiritualmente.

Melhorando assim nosso modo de pensar, não pensaremos mais em criticar outras pessoas, deixando que cada qual leve a vida à sua maneira.

Precisamos sempre nos convencer de que não somos os donos da verdade. Cada qual tem a sua. Há que se respeitar o livre arbítrio. É válida a troca de opiniões, ou uma crítica construtiva, quando solicitada. Sempre é perigoso apontar erros alheios, porque sempre existirá alguém para apontar os nossos.

Existem outras maneiras para tentar alcançar a felicidade, e também para procurar espalhar um pouco dessa felicidade conseguida. Acompanhem o itinerário.

Caminhar ao lado de um amigo, sempre faz bem, principalmente se ele estiver com problemas, e pudermos ajudá-lo na solução.

Sorrir sempre que cumprimentamos alguém, ou sempre que tivermos oportunidade, pois sorrir faz bem e é econômico. Um sorriso espontâneo e sincero torna as pessoas mais bonitas e muito mais simpáticas. Não podemos nos esquecer disso.

Falar sempre de coisas boas, procurando conhecer o lado bom das pessoas. É fácil apontar defeitos, mas vamos também e principalmente, falar das virtudes.

Erros do passado, devem ser esquecidos, e nunca repetidos. Sempre em nossas eventuais quedas, é importante saber como nos recuperar do golpe, sem nos desesperarmos.

Quando eventualmente perdermos a calma, é importante respirar fundo, recuperando o controle antes de fazermos algo de irremediável.

Devemos nos esquecer da inveja e da ingratidão, que são sentimentos que apenas trazem amargura para a vida. Pessoas invejosas e ingratas nunca são bem vistas, e não conseguem boas amizades. Ninguém aprecia sua companhia.

Bem, tudo isso, é uma questão de aprendizado, não acontecendo de forma repentina. Mas, vale a pena tentar, pois a vida sempre irá melhorar.

Ao conseguirmos inserir em nossa vida a prática cotidiana dessas atitudes positivas, fatalmente iremos melhorar não apenas nossa imagem perante os outros, como também nossa auto estima. Ao nos sentirmos bem conosco, nossa vida irá melhorar e muito.

Não faremos apenas a felicidade alheia, como também e principalmente a nossa.

Nossa vida deixará de ser apenas um fardo a ser carregado, cada vez mais pesado, sempre acrescido das desgraças vividas. Poderá transformar-se numa gostosa e gratificante caminhada de recreio. Tudo depende de como encararmos a vida.

Para encerrar, uma mensagem que foi passada por meu guru L’Inconnu:

“A maioria das pessoas procura a felicidade como um fim, não como um caminho. Talvez por isso ela se torne tão inacessível e tão rara.”