Caminhada – Maurício Ponsancini.

“Se cair, levante-se. Se se atrasar, não desanime. Se outros vão a sua frente, siga-os. Mas vá sempre caminhando em direção aos horizontes do BEM e da VERDADE.”

(Autor desconhecido)

Sei que na minha caminhada tem um destino e uma direção,
por isso devo medir meus passos, prestar atenção no que faço
e no que fazem os que por mim também passam
ou pelos quais passo eu…

Que eu não me iluda com o ânimo e o vigor dos primeiros trechos,
porque chegará o dia em que os pés não terão tanta força
e se ferirão no caminho e se cansarão mais cedo…

Todavia, quando o cansaço houver, que eu não me desespere
e acredite que ainda terei forças para continuar,
principalmente quando houver quem me auxilie…

É oportuno que, em meus sorrisos, eu me lembre
de que existem os que choram, que, assim,
meu riso não ofenda a mágoa dos que sofrem:
por outro lado, quando chegar a minha vez de chorar,
que eu não me deixe dominar pela desesperança,
mas que eu entenda o sentido do sofrimento, que me nivela,
que me iguala, que torna todos os homens iguais…

Quando eu tiver tudo, coragem, água no cantil,
e ânimo no coração, bota nos pés e chapéu na cabeça, e,
assim, não temer o vento e o frio, a chuva e o tempo.

Que eu não me considere melhor do que aqueles que ficarão atrás,
porque pode vir o dia em que nada terei mais para minha jornada
e aqueles, que ultrapassei na caminhada, me alcançarão
e também poderão fazer como eu fiz e nada de fato fazer por mim,
que ficarei no caminho sem concluí-lo…

Quando o dia brilhar, que eu tenha vontade de ver a noite
em que a caminhada será mais fácil e mais amena;
quando for noite, porém e a escuridão tornar mais difícil a chegada,
que eu saiba esperar o dia como aurora, o calor como bênção…

Que eu perceba que a caminhada sozinho pode ser mais rápida,
mas muito mais vazia…

Quando eu tiver sede, que encontre a fonte no caminho,
quando eu me perder, que ache a indicação, a seta, a direção…

Que eu não siga os que desviam,
mas que ninguém se desvie seguindo os meus passos…

Que a pressa em chegar não me afaste
da alegria de ver as flores simples que estão à beira da estrada,
que eu não perturbe a caminhada de ninguém,
que eu entenda que seguir faz bem, mas que, às vezes,
é preciso ter-se a bravura de voltar atrás
e recomeçar e tomar outra direção…

Que eu não caminhe sem rumo, que eu não me perca nas encruzilhadas,
mas que eu não tema os que assaltam-me, os que embuçam,
mas que eu vá onde devo ir e, se eu cair no meio do caminho,
que fique a lembrança de minha queda
para impedir que outros caiam no mesmo abismo…

Que eu chegue, sim, mas, ainda mais importante,
que eu faça chegar quem me perguntar, quem me pedir conselho,
e acima de tudo, me seguir, confiando em mim !

Sonhar – Mauricio Ponsancini.

Não me refiro apenas ao sonho que vem enquanto dormimos, àquele recurso do inconsciente para refazer energias, para consolar-nos em nossas irrealizações. Esse sonho é reconfortador, reconheço-o, e tem sua valia. Se não sonhássemos enquanto dormíssemos, há muito que nossas energias psíquicas e mentais estariam consumidas e viveríamos praticamente em agonia, sob o peso enorme e insuportável de nossas frustrações.
Desejo-te, assim, que tenhas essa espécie de sonho, o transporte ao paraíso e ao impossível enquanto estiveres dormindo.
Mas eu quero ir além… eu quero desejar-te mais: que sonhes de olhos abertos. Esse novo e definitivo tipo de quimera te fará ainda mais bem… quer o conduzas em tuas próprias fantasias. O importante é que tenhas coragem sadia, o bom senso realista de sonhar.
Sonha, assim, com todas as forças de tua alma, com toda sua capacidade de construir um mundo novo, um mundo ideal em que se concretizem todos os teus anelos.

Sonha… Quem não se atreve a sonhar, não vive, deixa se viver apenas, é frágil barco ao sabor da corrente, é pluma ao sopro do vento. Sonha…

Nenhum grande construtor deixou de sonhar… Tudo aquilo que existe de grandioso, houve época em que foi firmado nas nuvens e existiu apenas na imaginação fértil de quem teve coragem de ter idéias. O próprio Deus é um sonhador, se vale a comparação antropomórfica. Ele também sonhou com um mundo ideal, em que as criaturas se amassem umas às outras, assim como Ele as amou infinitamente. Por isto sonha, sonha com alma, coração e espírito e sentimento. Quando estiveres prostrado sob o fardo da dor mais amarga e da decepção mais cruel, aí é chegado o momento de recorreres ao sonho.
Fantasia, imagina que o mal haverá de passar, que virá o tempo em que os pássaros cantarão novamente, as estrelas brilharão de novo, as pétalas terão o perfume mais uma vez…
Sonha com a sinceridade… dá realidade à tua fantasia… Acredita no teu interior, que a felicidade existe, que aventura acontece, que o amor vence tudo. Sonha isso com bravura e coragem. Povoa, porém, esse sonho legítimo e belo com ternura, com as tintas de um pintor inspirado e levado pela própria quimera.

Sonha com profundidade… atreve-te a construir uma vida nova, ousa sonhar e fazer castelos de areia ou de nuvens… o importante é que devaneies, que libertes de tudo que oprime, diminui ou é rasteiro. Sonha com grandeza e sem limites. Quem não sonha e vê apenas o aspecto frio, existencial das coisas, vê unicamente o exterior…
Somente sonhando é que se pode sentir o calor de um coração, a vida de um pensamento, a doçura de um afeto. Sonhar é viver dentro da alma das coisas e das pessoas. Sonha, assim; busca no sonho, aquilo que te falta e o que gostaria de dar, de transmitir e te sentes incapacitado ou inferiorizado de oferecer. Só o sonho não sente a ação corrosiva do tempo. Por isto, se a vida te pesa dentro da alma, sonha que és jovem, que tens o direito de esperar, de aguardar e de confiar.

Quando te doer o fracasso, sonha que a vitória está à frente: assim não desanimarás no combate mais rude e não sucumbirás na luta mais cruel. Sonha que o perdão virá… Assim o arrependimento não terá sentido e não será apenas um remorso que nada repara.
Sonha que a vida não pára, que a vida continua… assim não temerás o próprio fim, nem se arrecearás da própria morte…
Sonha que a alegria coroará tudo, que após a tempestade virá a bonança… Assim, os raios trarão luz e não medo… e a noite será bem-vinda, pois dentro dela e com ela é mais fácil continuar a sonhar.

Pinte a tela de tua fantasia com a cor de cada gota do arco-íris… Arremata a sua moldura com a poeira das estrelas. Sente que o beijo tem gosto que não envelhece e a alma tem carinhos que ainda precisam ser inventados para serem entendidos.

Se queres que a realidade não te abata e não te leve ao pesadelo constante de não poderes fantasiar, viva intimamente, mas intensamente, a beleza de não haver limites à tua frente e nem barreiras a teu derredor. Para isto abre os olhos e mergulha no infinito… Sonha, sonha tudo aquilo que jamais realizes, mas que a imaginação te trará dentro da música e da poesia…
Sonha hoje e para sempre, mas sonha!