Cavaleiro do Amor!

Um dia, numa praça, um jovem exibia seu coração, o mais bonito daquela cidade. Uma grande multidão se aproximou e admirou aquele coração, pois era perfeito. Não havia nele um único sinal que lhe prejudicasse a beleza. Todos reconheceram que realmente era o coração mais bonito que já haviam visto. O jovem estava vaidoso e o ostentava com crescente orgulho.

De repente um velho homem, montado num cavalo, surgiu do meio da multidão, desceu ao chão e bradou: “Seu coração nem de longe é tão bonito quanto o meu !”

O jovem e a multidão olharam para o coração do velho homem: Batia fortemente, mas era cheio de cicatrizes. Havia lugares onde faltavam pedaços e também partes com enxertos que não se encaixavam bem, que tinham as laterais ressaltadas.

A multidão se espantou:
“Como pode ele dizer que seu coração é mais bonito?”

O jovem olhou para o coração do velho homem e disse, rindo:
“O senhor deve estar brincando! Compare seu coração com o meu e veja. O meu é perfeito e o seu é uma confusão de cicatrizes e emendas !” “Sim”, disse o velho homem.

“O seu tem aparência perfeita mas eu nunca trocaria o meu por ele. As marcas representam pessoas a quem dei o meu amor. Eu arranquei pedaços do meu coração e dei a elas e, muitas vezes, elas me deram pedaços de seus corações para colocar nos espaços deixados; como esses pedaços não eram de tamanho exato, hoje parecem enxertos feios e grosseiros, mas eu os conservo como lembranças de amor que dividimos.

Algumas vezes eu dei pedaços do meu coração e as pessoas que os receberam não me deram em retorno pedaços de seus corações: esses são os buracos que você vê.

Dar amor é arriscar. Embora esses buracos doam, eles permanecem abertos lembrando-me do que tenho por aquelas pessoas, e eu tenho esperança de que um dia elas me dêem retorno e preencham os espaços que ficaram vazios. Agora você consegue ver o que é beleza de verdade?”

O jovem ficou em silêncio, com lágrimas rolando por suas faces. Caminhou em direção do velho homem, olhou para o próprio coração e arrancou um pedaço, oferecendo-o com as mãos trêmulas.

O homem pegou aquele pedaço, colocou no coração e tirando um outro pedaço do seu, colocou-o no espaço deixado no coração do jovem.

Coube, mas não perfeitamente, já que havia irregulares beiradas. O jovem olhou para o seu antes tão perfeito coração. Já não tão perfeito depois disso, mas muito mais bonito do que sempre fora, já que o amor do velho homem entrara nele.

Diante da multidão que os observava em respeitoso silêncio, eles se abraçaram e saíram andando lado a lado, seguidos pelo cavalo, cujas patas batendo no solo emitiam o som de corações pulsando …

Como é o seu coração ?

“Há três tipos de pessoas que têm sorte na vida: as que querem, as que perseveram e as que sabem amar de verdade”.

Como é o seu coração ?

Mulher Apenas…

Ela mal nasce, nem cabelos ainda tem, e já lhe arranjam
fitinha colorida bem colada à carequinha.
Mulher nasce prá ser mais cores entre todas as cores.

Mulher é arco-iris.

Ela mal cresce, mal “desmama” as bonequinhas
e já sai dando colinho para os colegas da escola,
para o amiguinho tristonho, para a mamãe
carente, para o papai cansado.

Mulher é colo.

Ela adentra a adolescência, chama a
atenção dos meninos, dos “maduros”
sonhadores, dos passageiros de ônibus, motoristas,
cobradores e até do irmão mais velho!

Mulher é tentação.

Quando já passa dos 20, quantas histórias já conta!
Já teve amor malogrado, já teve o primeiro beijo,
o primeiro namorado, despedidas, desencontros,
alegrias inesquecíveis, sucessos, também fracassos.

Mulher é novela.

Vai para os 30, 40, 60 … não crê que alcança os 80!
Quantos amores! Quantas marcas!
Uniões, filhos, empregos, patrões (dentro
e fora de casa) , metas alcançadas, tantos desejos
frustrados, tantas palavras já ditas,
muitos silêncios impostos, compreensões,
incompreensões, traições e mil desgostos.

Mulher é história.

E quando ela deixa o mundo, em algum canto do quarto
acha-se um fio de cabelo, ouve-se sua canção favorita,
vê-se uma oração à antiga cabeceira, seu confessor
travesseiro e a mancha da última lágrima.

Mulher é saudade.

Mas ela sempre renascerá em outras,
sempre será o que veio para ser,
sempre cumprirá sua missão de luz entre os homens,
sempre será apenas e tão somente o que é.

Apenas e tão somente mulher.

Declaração dos Direitos do Amor.

Considerando ser o Amor
o maior de todos os agentes de Utilidade Pública,
PROCLAMA-SE O QUE SEGUE:
Artigo 1º
O amor pode apropriar-se de todo e qualquer coração,
com ou sem anuência do dono.
Artigo 2º
Em presença de sentimentos inferiores, tais como a raiva,
o ódio e o ressentimento, ao Amor é permitido julgá-los e
extraditá-los sem direito a reconsideração da pena.
Artigo 3º
O Amor deve ser respeitado em todas as suas formas,
sejam elas dirigidas a pessoas, coisas, vegetais ou animais.
Artigo 4º
Ao Amor é sempre permitida a companhia do perdão,
pois que sem este Ele está falsificado.
Artigo 5º
O Amor tem o direito de ficar cego, surdo e mudo
quando em presença de maledicências
e pode apresentar-se como agente de paz
diante de desarmonias e atos prejudiciais
a todos os seres do Planeta.
Artigo 6º
O Amor tem licença plena para manifestar-se livremente,
independente de raça, credo ou religião.
Ele é incondicionalmente livre
para viver em seu habitat natural: o coração.
Artigo 7º
O Amor é bússola que aponta o caminho para a Felicidade
e assim deve ser indiscutivelmente reconhecido.

Artigo 8º
A todo aquele que banir o Amor do seu coração
será imputada a pena de solidão,
isolamento e sofrimento perpétuos.
Artigo 9º
O Amor nunca deverá ser responsabilizado por dores,
perdas ou danos e tem amplos poderes para neutralizar
todas as batalhas, sejam elas emocionais, familiares ou sociais.
Artigo 10
Ao Amor não se aplicam Leis Trabalhistas:
Ele pode exercer suas funções 24hrs por dia
durante TODOS os dias do ano.
Artigo 11
Quando o Amor entra em corações, deve ser bem recebido,
bem tratado, bem nutrido e absolutamente livre para agir
em prol de todos os envolvidos por Ele.
Artigo 12
Em nenhuma hipótese o Amor deverá ser álibi
para atitudes de más intenções, tais como usá-Lo
como desculpa para enganar, iludir ou controlar corações.
Também nunca poderá ser instrumento de brincadeira
com o sentimento do homem ou da mulher.
Artigo 13
Toda e qualquer tentativa de matar o Amor será tratada
pelo Universo como crime contra a vida do próprio mandante.
Artigo 14
O Amor é partidário da Lei de Causa e Efeito:
Ele pode partir em definitivo da Vida daqueles
que optam pelo sofrimento diante das adversidades,
e também daqueles que se deixam cair em abandono.
Artigo 15
Ao Amor nada deve ser acrescentado
e Dele também nada retirado,
posto ser o mais perfeito de todos os sentimentos
e manifestação absoluta de Deus.

Parágrafo Único:

Os Direitos do Amor sempre protegerão os legítimos
Direitos de Todos os Seres.

REVOGUEM-SE TODAS AS DISPOSIÇÕES EM CONTRÁRIO

Dá Um Tempo!

Se o teu lugar agora parece-te frio e sem atrativos,
se não há ninguém agora que te inspire a falar ou a ouvir,
se o vento lá fora parece não soprar a teu favor,
se nenhuma palavra consegue agora tocar o teu coração,
se não sentes vontade de nada, se queres simplesmente fazer nada,
se as coisas da Terra parecem-te opacas e sem graça,
se as coisas do Céu agora parecem-te mentiras,
histórias inventadas,
se teu corpo não quer exercícios, não quer esforços,
só quer espreguiçar-se,
se agora nada desperta a tua vontade de crescer, de ir adiante,
de abraçar aventuras, desafios, novas metas, sonhos …
se para tuas perguntas não chegam respostas,
se olhas o relógio como a um inimigo cobrador
…dá um tempo.

O mar não espera pelo rio, no entanto o rio chega.
As árvores não anseiam por novas folhas,no entanto elas brotam.
As flores não imploram por chuvas,
mas as chuvas – cedo ou tarde – caem.
Os pássaros não se preocupam com o céu,
entretanto o céu lá está.
O dia não guarda ansiedade pelo descanso
da noite e ainda assim ela chega.
A noite não se abala com a própria escuridão,
repousando na certeza de que o dia virá.
A semente precisa do escuro da terra para
abrir-se à luz na hora mais acertada.
Deus não apressa as sementes:
Ele as conhece e respeita-lhes o tempo.
Se neste momento és semente, sossega,
respeita-te … e dá um tempo.

Dentro e Fora.

Fora de mim existe alguém que mente,
Dentro de mim um outro que desmente.

Dentro de mim alguém não quer falar,
Fora de mim há outro a matracar.

Fora de mim há um cego que eu disparo,
Dentro de mim há alguém que enxerga claro.

Dentro de mim alguém se esconde triste,
Fora de mim há um riso que persiste.

Fora de mim disfarçam-se meus medos,
Dentro de mim desvendam-se os segrêdos.

Dentro de mim há todo um universo,
Fora de mim bobagens que eu disperso.

Fora de mim é tudo fantasia,
Dentro de mim alguém silencia.

Dentro de mim os sentimentos falam,
Fora de mim as convenções os calam.

Fora de mim há falsas liberdades,
Dentro de mim alguém que força as grades.
. . .
Longa demais seria a descrição
Do alguém de dentro e deste alguém de fora,
Então só deixo meia confissão
Nos bobos versos desta boba hora.